Se alguém perguntasse para você qual seria seu parente mais distante, o que responderia? Para não errar, diga bactéria!

Sim, foram elas as grandes colonizadoras do nosso planeta! São unicelulares, com maquinário simples, mas que arrasam para o bem e para o mal!

Gostaria de falar de um gênero em particular, o Clostridium. Há duas parentes mais conhecidas por nós: a tetani e a botulinum, que causam, respectivamente, o tétano e o botulismo.

Ambas são anaeróbicas restritas, ou seja, não realizam a respiração celular para obter energia e, sim a fermentação. São chamadas de restritas pois morrem na presença do gás oxigênio.

O botulismo, doença causada por toxinas potentes da Clostridium botulinum,   causa problemas no sistema nervoso periférico, bloqueando a transmissão neuromuscular  e causando paralisia.  É uma doença relativamente rara.

A bactéria entra no organismo por meio de machucados ou pela ingestão de alimentos contaminados, principalmente os enlatados e que não têm preservação adequada. A doença pode levar à morte por paralisia da musculatura respiratória e cardíaca dentro de 3 a 5 dias.

É a toxina mais venenosa do mundo!!!   Para aniquilar um jovem de 50 quilos, por exemplo, é precisoirrisórios 20 nanogramas da toxina (um nanograma equivale a um bilionésimo de grama).

Mas esse veneno é usado há muito tempo na medicina para beneficiar a vida de muita gente.

Quando se fala em toxina botulínica as pessoas pensam logo em Botox, utilizado para suavizar as rugas por impedir a contração muscular. Botox é uma marca e não é a mesma coisa que toxina botulínica.

Há uma grande variedade de aplicações dessa toxina associadas com hiperatividade muscular, hipersecreções glandulares e dor.

A toxina produzida pelo Clostridium botulinum começou a ser estudada como opção terapêutica para tratar espasmos musculares na década de 1810, pelo médico alemão Justinus Kerner. No final do século, em 1895, o pesquisador belga Emile van Ermengem, conseguiu isolar a bactéria pela primeira vez.

Os efeitos benéficos do tratamento com a toxina devem ser realizados periodicamente pois nosso sistema imunológico destrói essa proteína estranha.

Com dezenas de usos diferentes da toxina na medicina, é uma injustiça pensar na sua utilização somente no campo da estética. Os benefícios dessa substância podem ser sentidos por pacientes que sofrem com:

  • enxaqueca,
  • bruxismo,
  • estrabismo,
  • distonia (distúrbio do movimento em que o músculo se contrai de forma involuntária, repetitiva),
  • hiperidrose (sudorese exagerada em partes específicas do corpo),
  • bexiga hiperativa,
  • blefaroespasmo (tremor constante das pálpebras),
  • correção do sorriso gengival (exposição excessiva da gengiva ao sorrir),
  • correção de assimetrias,
  • correção e melhoria de espasmos na paralisia facial entre outros problemas.

São muitas aplicações. Viu? Nem só de rugas vive a toxina botulínica!

Rosana Jorge Celiberto (Rosaninha) – @celibertojorge
Professora de Ciências do Fundamental II e Biologia do Ensino Médio do Colégio Spinosa
Bacharel e Licenciada em Biologia pela UNISA
Participação em artigo científico e livros na área da Educação

Abrir Whatsapp
Fale com a gente
Olá, gostaria de informações sobre as matrículas