A inteligência emocional é um conceito da psicologia usado para designar a capacidade do ser humano de lidar com as emoções. Sabemos que no ambiente escolar, a criança amplia as possibilidades de conhecimento de si e do mundo, vivenciando acontecimentos significativos para ela, estabelecendo novos vínculos afetivos e assim, desenvolvendo suas habilidades e competências.

O termo socioemocional usado pela BNCC está ligado às práticas sociais e à inteligência emocional e são considerados essenciais para o desenvolvimento pleno de todo ser humano. Esse conjunto de habilidades socioemocionais, estão divididos em 3 grandes pilares.

Emocionais

– aprender a agir progressivamente, com autonomia emocional, respeitando e expressando sentimentos e emoções. Representa habilidades como: aprender a ganhar e a perder, aprender com os erros, desenvolver autoconfiança…

Sociais

– aprender como nos relacionamos com o mundo externo e com as pessoas ao redor. Atuar em grupo de maneira funcional e se mostrar apto a construir novas relações, com respeito à diversidade e se mostrando solidário ao outro.

Éticas

– aprender como agir positivamente para o bem comum. Respeito, tolerância e aceitação às diferenças, são qualidades importantes nessa área. Saber quais são e acatar as regras de convívio social.

O desenvolvimento destas praticas devem ser alicerçados, respeitando o tempo e limite dos pequenos. O importante é descobrir quais são as habilidades que cada criança tem em potencial.

As emoções se desenvolvem ao longo de todo o ciclo vital, mas quanto antes começarmos será melhor. Desde o nascimento as crianças são expostas a uma série de situações que despertam diferentes emoções com as quais elas precisam aprender a lidar. Ao contrário do que alguns pensam, habilidades socioemocionais não dependem exclusivamente de personalidade, devendo ser trabalhadas no dia a dia, desde cedo.

A infância é um período ideal para trabalhar a inteligência emocional, pois desenvolvendo essas habilidades desde cedo elas se tornam naturais, criando adultos mais resilientes, seguros e bem-sucedidos, tanto na vida pessoal quanto profissional. Assim, pessoas com boa inteligência emocional são capazes de construir melhores laços afetivos e relacionamentos mais saudáveis e felizes.

O conceito de Inteligência Emocional não é centrado na mensuração da inteligência em si, mas sim em sua otimização por meio da educação para as emoções.

Sugestão – Estimule as brincadeiras

As brincadeiras são excelentes ferramentas para estimular as habilidades das crianças, principalmente quando elas são educativas. Além disso, essa é uma forma de descobrir o tipo de inteligência da criança. Incentivar os alunos a participar de práticas específicas, de acordo com o tipo de inteligência deles, é uma excelente forma de estimular seus talentos.

Maria Teresa Giubilato Maciel

Licenciatura em Psicologia – Faculdade Paulistana

Bacharelado em Psicologia com especialização na área escolar – Faculdade ABC – Santo André

Abrir Whatsapp
Fale com a gente
Olá, gostaria de informações sobre as matrículas